Veja bem: sou corintiana. Sempre fui, sempre vou ser, acompanho os jogos, as notícias, sou apaixonada pela história do meu clube. Mas gosto de futebol. Se me chamar para ir em um jogo São Paulo x Palmeiras, vou. E, agora que estou morando fora de casa por uns tempos, preciso adotar um clube local que eu possa acompanhar nos estádios também. Ou que eu possa assistir ao jogo em um pub com a galera.

Viena, a capital austríaca e minha atual residência, tem dois clubes principais: Austria Wien e Rapid Wien.

Escolher um time para torcer é difícil. Sendo corintiana, meu coração sempre bate mais forte pelo time do povo e, no caso, é o Rapid Wien. Mas estamos na Europa e as coisas nem sempre são tão simples, especialmente considerando a parte germânica da Europa.

A reação do Corinthians à ditadura militar brasileira é uma das coisas que mais me orgulho no meu clube e não saberia ser torcedora de um time que apoia regimes autoritários.

corinthians.jpg

Na Áustria, há que se considerar como cada instituição agiu durante o período nazista. E nesse ponto existem diferenças bem claras:

O Austria Wien era o melhor clube do país, um dos melhores do continente, antes do regime nazista, quando passou a ser chamado de Judenklub (clube dos judeus). Jogadores e funcionários judeus foram perseguidos e mortos. A estrela do time, um católico de origem tcheca chamado Matthias Sindelar foi encontrado morto em circunstâncias suspeitas (envenenado por monóxido de carbono no seu apartamento) depois de se recusar a jogar pelo time-combinado Áustria+Alemanha.

sindelar
Sindelar

Antes da seleção ser anexada pela seleção alemã, as duas equipes, Alemanha e Áustria, jogaram uma última partida. Sindelar fez questão que a seleção austríaca jogasse de vermelho e branco, cores da bandeira, em vez do comum uniforme preto e branco. Também marcou nos últimos minutos, vencendo o jogo, e comemorando pra cacete na frente da equipe nazista. Temos um Sócrates?

Já o Rapid… mesmo tendo vários judeus no clube, quase metade dos funcionários (para ser justa: nenhum dos jogadores) eram membros do partido nazista. Um dos títulos que hoje o clube possui foi conquistado na época, título de campeão da Alemanha. Até a década de 1980 ainda se ouviam gritos antissemitas na torcida do clube.

Então, quer dizer…

Fui a um jogo do Austria Vienna. Não era um clássico, o estádio (municipal, eles estão construindo o próprio estádio agora) não estava cheio, mas a atmosfera era maravilhosa. A partida foi 0 x 0, mas os torcedores cantavam o tempo todo, as bandeiras coloridas e coordenadas, foi tudo muito lindo.

 

Ah, e não pode cerveja (com álcool), mas tá liberado muita linguiça nos lanches. Também não pode sinalizador e fumaça, mas quando foi quase gol, vi uma fumaça roxa rs. Por falar em roxo… o Austria Vienna é roxo, cor da minha faculdade <3. O Rapid é verde e branco. Já viu, né?

Posted by:Amanda Previdelli

Jornalista, paulistana e geminiana. Já estudou desde Política Internacional a Yoga e Astrologia. Compra brigas nas redes sociais e mesas de bar, mas gosta também de viajar e conversar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s