Não tem por que

 

A amiga da Alice é insegura. Muito insegura. Fica se comparando a outras pessoas e sempre perde em todos os sentidos. Bobagens.

Esses dias ela, a Carol, viu o ex-namorado com a atual namorada. Tem coisa pior para quem é inseguro? A atual parece boazinha, parece bonitinha, parece ok e parece ser gente boa. Assim, nada demais. Aos olhos da Carol, porém, a menina se torna indefectível.

Aí a Alice, para acalmar os nervos da amiga, que já faz promessas de entrar na academia e parar de comer carboidratos e passar um jet bronze (seja lá o que isso for, que nome mais aterrorizante!) vai lá e faz o que ela pode para tornar a coisa mais fácil.

– Carol, por favor, você é muito mais bonita! Sério, ela é insossa, você é linda, mulherão!

– Lice, jura?

– Juro!

– É, esse cabelo dela está precisando de uma hidratação pra tratar esses anos de péssima tintura, né?

Risadas venenosas e libertadoras. Mas aí vem a virada, aquilo que só poderia vir de uma mente insegura:

– Mas, Lice, você só piorou as coisas. Se ele está com ela e eu sou mais bonita…

– Ih, nem vem com loucuras.

– Alice, não tem academia para personalidade. Por que será que ela é mais interessante que eu?